Sistemas de Rega


Sistemas de Rega para espaços verdes: a quantidade de água certa, no local necessário, pelo método mais eficaz!

 

A água como constituinte principal de qualquer planta, deve estar disponível ao longo de todo o ano, ou através da chuva, ou da rega.

É pois necessário, para o correcto desenvolvimento de um jardim, a presença de um Sistema de Rega bem dimensionado, que seja capaz de responder convenientemente às necessidades de todas as espécies presentes no jardim, sem que haja lugar a desperdício ou falta de água.

 

Os projectos de sistemas de rega devem ser baseados em determinados parâmetros, tais como:

  • Textura do solo
  • Número de horas de sol
  • Orientação do jardim
  • Tipo de utilização do jardim
  • Tipo/necessidade de espécies que constituem o jardim
  • Disponibilidade de água
  • Geometria do jardim

Os sistemas de rega, como qualquer sistema hidráulico, necessitam de Técnicos qualificados para o seu correcto dimensionamento, implementação no terreno e manutenção.
Infelizmente, para a saúde dos jardins, e para prejuízo dos seus proprietários, surgem muitos casos de erros grosseiros no dimensionamento, execução e manutenção dos sistemas de rega; erros esses capazes de destruir todo o investimento efectuado.

 

Apontamos alguns erros que facilmente se podem identificar:

  • Projecto de rega mal dimensionado, não cobrindo toda a área necessária do jardim;
  • Projecto sobre-dimensionado, resultando em desnecessários investimentos na instalação com posteriores gastos elevados em água,
  • Ausência de filtros ou incorrectamente instalados;
  • Sectores com pulverizadores e aspersores juntos;
  • Rega de relvado e canteiros juntos no mesmo sector;
  • Inadequada uniformidade de rega por área;
  • Bicos de elementos de rega e/ou afinações incorrectas;
  • Tempo de rega incorrecto;
  • Projectos/Orçamentos efectuados em medição de pressão e caudal do ponto de água


A Neoturf dispõe de técnicos qualificado, apresentando opções à medida dos jardins e dos seus utilizadores, com preços competitivos e com um variado número de marcas, podendo assim responder de forma conveniente às exigências pretendidas por todos os seus clientes.

Os projectos são entregues aos clientes num ficheiro Auto-Cad e em papel, para que fique com o cliente um cadastro das instalações efectuadas, sendo necessário para isso a entrega em suporte magnético da parcela a trabalhar.

 

Quais as vantagens de ter um bom Sistema de Rega:

  • Poupança significativa de água (90% de poupança comparando com os gastos da rega manual)
  • Conforto e segurança (arranque automático da rega nos períodos de ausência)
  • Horário de rega mais conveniente para o jardim e seus utilizadores
  • Maior eficácia nas aplicações de adubos
  • Diminuição da agressão provocada pelos sucessivos cortes
  • Boa “saúde” de todo o Jardim
  • Diminuição dos estragos feitos por animais (urina de cães e gatos)
  • Permanência da função estética do Jardim
  • Diminuição de encargos com perdas nos efectivos vegetais plantados
  • Rega subterrânea, ou enterrada, em Jardins (Sistema Ecológico)
  • Sendo a água, cada vez mais, um bem escasso em todo o mundo, e representando os jardins um factor de elevado consumo de água, a Rega Subterrânea é sem dúvida a rega do futuro em todos os jardins, sejam estes públicos ou privados, pois diminui significativamente os gastos em água e energia.

 

Quais as vantagens do Sistema de Rega Subterrâneo (Sistema Ecológico):

  • Poupança de água em relação aos outros sistemas de rega
  • Colocação da água directamente onde a planta mais necessita
  • Precisão de rega 100% (caminhos, ruas e estradas secas)
  • Manutenção praticamente inexistente
  • Economia de energia, (menos água e menores pressões exigidas pelo sistema, cerca de 1 Kg/cm2)
  • Ideal para jardins com muita utilização (casamentos, recepções, festas – pois poderá estar a regar em simultâneo com a utilização do jardim)
  • Protecção contra roubos e vandalismo (jardins públicos)
  • Taludes sem escorrimento (não há a criação de linhas de água)
  • Solução perfeita para os recortes estreitos (separadores de ruas e estradas)
  • Adaptação da rega com a máxima perfeição a desenhos muito irregulares
  • Ideal para zonas ventosas

Nunca adjudique um sistema de rega a quem não procurou de forma sistemática os valores de pressão e caudal do ponto de água.

 

 

Sistemas de Rega Agrícolas: ajudar a produzir com qualidade e estabilidade de produção. 

 

 O sistema de rega é mais uma ferramenta que, como todas, deverá ser bem usada.

 As alterações cada vez mais acentuadas do clima, com fortes chuvas no Inverno e períodos de seca prolongados no Verão, veio aumentar os prejuízos na agricultura, com principal incidência no pós plantação, surgindo por vezes, no caso das Vinhas no Douro, perdas de 90% em algumas parcelas.

 Por outro lado, cada vez se dá mais importância, na gestão da exploração agrícola, à manutenção, dos níveis de quantidade e qualidade da produção, de uns anos para os outros. Pretende-se atingir a estabilidade económico-financeira das explorações, estando esse objectivo directamente ligado à estabilidade das produções.

Como a água é um factor limitante do vingamento, crescimento e maturação das produções vegetais, o seu controlo, através dos sistemas de rega, significa o controlo de um dos factores mais limitante do sucesso das explorações agrícolas.

Por outro lado com os sistemas de rega vêm associadas vária tecnologia que permitem a optimização das operações culturais, exemplo disso a fertiirrigação.

 

Das inúmeras vantagens de um Sistema de rega gota-a-gota destacamos:

  • Poupança significativa de água
  • Fornecimento de água 100% localizado
  • Eficiência de rega muito elevada
  • Versatilidade, com possibilidade de emprego em todos os tipos de terreno e em quaisquer condições (ventos, temperaturas extremas, à noite quando a energia é mais barata...)
  • Economia com: diminuição das perdas (principalmente em enxertos-prontos), diminuição quase total de mão-de-obra, entre outras, menores consumos de energia (menores pressões de funcionamento exigidas)
  • Melhorias Técnicas: possibilidade de montagem de Fertirrigação, possibilidade de montagem de pontos de água em todas as parcelas facilitando os tratamentos fitossanitários
  • Melhoria nas produções: melhorias qualitativas e quantitativas já reconhecidas pelos Enólogos
  • Maior facilidade de realização das operações culturais

 

Caracterização de alguns elementos do sistema de rega gota-a-gota

Tubo gota-a-gota

  • Auto-compensado, ou seja, dentro de um intervalo máximo de pressão debita os mesmos litros por hora em todos os gotejadores;
  • Possui a capacidade de expulsar pequenas partículas evitando o entupimento;
  • Duradouros em situações de condições climáticas extremas.

Estação de Bombagem

  • Motores eléctricos são a melhor opção para os sistemas de rega gota-a-gota, pois além de serem mais económicos possuem grande longevidade e exigem uma baixa manutenção.

Filtros

  • Os filtros são sem dúvida os componentes que mais contribuem para o correcto funcionamento dos sistemas de rega. A sua eficiência está directamente relacionada a durabilidade de todo o sistema.
  • Filtros de Areia – eliminam matérias orgânicas e algas, sendo aconselhada a retro-lavagem automática ou manual para a sua limpeza. No caso de serem automáticos, poderá ser instalado um pressostato diferencial, sendo os filtros limpos de acordo com as diferenças de pressão entre a entrada e saída dos filtros.
  • Filtros de Malha – estes filtros completam a acção dos filtros de areia eliminando impurezas mais pequenas, incluindo as causadas pela fertirrigação.
  • Filtros de Discos – Podem ser utilizados em substituição do filtro de areia (atendendo à marca e modelo).
  • Filtro Hidrociclone ou Separador de Areias – É normalmente utilizado em águas provenientes de furo, para separar e eliminar águas com muita areia.

Tubagens

  • Condutas principais e secundárias - PVC ou PEAD certificados, enterrados a 0,5-1 metro de profundidade acondicionados por terra crivada.
  • Tubos externos - Tubos Ferro galvanizado em todas as condutas externas.

Fertirrigação

  • Devem ser utilizados doseadores compatíveis com o sistema para que haja um controlo rigoroso das adubações (principalmente na vinha).
  • Depósito - Deve possuir um misturador automático para que o adubo fique bem dissolvido.

Aparelhos e Dispositivos de Controlo, Regulação e Segurança

  • Controladores: devem ser simples e completos, permitindo executar automaticamente determinadas funções que facilitam e diminuem quase por completo a mão-de-obra necessária para o bom funcionamento do sistema.
  • Electroválvulas: Na sua instalação, e no caso de condutas extensas, deverá ser colocado um filtro. Devem ser instaladas com um passador, e é aconselhada a inclusão de um manómetro para facilitar a detecção de problemas no sistema.

As ligações eléctricas devem estar salvaguardadas do contacto directo com o ambiente, evitando a corrosão dos cabos.

  • Válvulas reguladoras de Pressão: Usadas para a regulação das pressões em parcelas que apresentam declives acentuados (10 metros de desnível representam 1Kg/cm2).
  • Válvulas de Ar: Estas válvulas, tal como as anteriores, são essenciais para o correcto funcionamento do sistema, sendo colocadas em posições bem definidas para evitar o vácuo e a existência de ar nas condutas, assim como os inúmeros problemas que estas situações podem provocar.

Em qualquer parcela com declives acentuados (ex: Região do Douro), estas válvulas são fundamentais.

  • Pressostatos de Máxima e Mínima: Instrumento utilizado para parar todo o sistema em caso de baixas pressões (rupturas) ou excessos de pressões (não funcionamento de uma electroválvula, entupimento, ar nas condutas), prevenindo assim as graves consequências que estas situações podem provocar.

O Controlador deve possuir estas opções para que o pressostato possa actuar.

  • Válvulas de Alívio: Estas válvulas têm a função de, em caso da detecção de pressões altas anormais, “aliviar” as condutas, completando a função do pressostato de máxima e mínima em caso de não funcionamento deste. Neste caso a válvula abre para deixar sair toda a água, evitando a destruição do sistema por altas pressões.
  • Válvulas de Purga: Válvulas utilizadas para garantir o bom funcionamento e durabilidade do sistema, permitindo a purga das condutas secundárias nos procedimentos de manutenção.

Outros Acessórios

  • Caudalímetros: Medem o número de litros que passa na conduta principal. Este acessório pode ser ligado ao controlador caso este tenha a opção de regar por litros em vez de tempo de rega.
  • Grampos de suporte do tubo emissor ao arame.
  • Cabos Eléctricos: Devem ser certificados.
  • Manómetros: Imprescindíveis para monitorizar as informações relativas ao correcto funcionamento do sistema e localizar as possíveis avarias.
  • Anéis fim de Linha: Importante que sejam práticos para facilitar a purga dos ramais gota-a-gota durante a manutenção do sistema.
  • Quadros Eléctricos: Devem ter a protecção necessária (estabilizadores de corrente, tempestades eléctricas...) e relés de arranque para os vários mecanismos do sistema (bomba, bomba doseadora, misturador).